Declaração

Como declarar dívidas no imposto de renda 2019

Nem todo mundo sabe, mas é preciso declarar dívidas no imposto de renda! Ao separar a documentação para preencher a declaração, tudo mundo só lembra dos imóveis, das rendas, mas nunca das dívidas! Mas sim, elas também devem ser informadas!

E vale toda e qualquer dívida que seja superior a R$5.000,00 (cinco mil reais): Cartão de crédito, cheque especial, empréstimos. Até aquele dinheiro que você pegou emprestado com um amigo ou parente deve ser informado.

Como proceder para declarar dívidas no imposto de renda 2019

Como declarar dívidas no Imposto de Renda

As informações precisam ser incluídas na aba “Dívidas e ônus reais”, usado o código 11 para “Estabelecimento bancário comercial”.

Cada dívida deverá ser discriminada separadamente. Por exemplo: Se você tem uma dívida de cartão de crédito de R$1.000,00 (mil reais) e um empréstimo de R$3.000,00 (três mil reais), deve declarar dívidas no imposto de renda separadamente.

É preciso ter em mãos para declarar: o tipo de dívida (empréstimo, financiamento, cheque especial, etc), o número total de parcelas, a instituição financeira que concedeu o crédito e o valor total que já foi pago até 31/12/2018. Caso a dívida tenha sido contraída em 2018, o campo “situação em 31/12/2017” deve estar zerado. Já para 2018, informe o valor devido até o dia 31/12/2018 e também o valor pago durante 2018 no campo correspondente.


Caso a dívida seja com pessoas físicas, utilize a aba “Dívidas e ônus reais” escolha o código 14 – Pessoas Físicas e informe o CPF do credor e o valor total da dívida. Fique atento para informar os dados corretos, para não correr o risco de cair na malha fina, caso haja alguma inconsistência no cruzamento de dados.

Já quem concedeu o empréstimo, deve usar a aba “Bens e Direitos” e o “código 51 – Crédito decorrente de empréstimo”, informando o CPF da pessoa para quem concedeu o empréstimo, o valor emprestado, número de prestações e a data do acordo.

Quem precisa declarar o imposto de renda?

Para saber se você precisa declarar o imposto de renda, veja se encaixa em alguma destas situações:

  • Obteve renda tributável, oriunda de salário, aluguéis e outras fontes de renda no qual a soma foi superior a R$28.559,70;
  • Obteve rendimentos isentos de tributação ou que foram tributados exclusivamente na fonte em que a soma foi superior a R$40.000,00;
  • Obteve ganho de capital na alienação de bens ou em operações da bolsa de valores e semelhantes;
  • Passou a condição de residente no Brasil em qualquer mês e ainda permanecia nesta condição em 31 de Dezembro de 2019;
  • Obteve renda oriunda de atividade rural com valor superior a R$142.798,50.

Agora, não precisa realizar declaração de rendimentos as pessoas que não se encaixam nas situações acima ou então são portadores de moléstias graves, tais como:

  • AIDS
  • Mal de Parkinson
  • Esclerosa Múltipla
  • Neoplasia maligna (câncer)
  • Tuberculose Ativa
  • Paralisia irreversível ou incapacitante
  • Hanseníase
  • Doenças provenientes de contaminação por radiação
  • Fibrose cística
  • Cegueira
  • Cardiopatia Grave
  • Alienação Mental
  • Doença de Paget
  • Nefropatia Grave
  • Doenças graves do fígado

O prazo para entrega da declaração do imposto de renda vai até o dia 30 de abril de 2019

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!